Banner_Bioset
Banner Cursos
BANNER 5 ANOS 1 copiar
Tag

Slider

Browsing

Congresso de sáude estética acontece nos dias 18 e 19 de julho e tem profissionais renomados com participação já confirmada

 

O primeiro congresso de saúde estética Beauty Summit 360 na versão on-line já tem data marcada: vai ser nos dias 18 e 19 de julho, quando levará aos profissionais da estética conteúdos técnicos em forma de workshops, plenária e até mesmo stands com vendas de produtos e serviços. A informação é de Jonatas Vasconcelos, fundador do Beauty Summit 360 e do Portal Estética e Mercado.

Segundo ele, as inscrições, que custarão R$ 27, serão abertas no dia 20 de junho, no site beautysummit360digital.beautyconnect.com.br, quando um link estará disponível. “O valor arrecadado será integralmente revertido para entidades que entregam cestas básicas a famílias em situação vulnerável, especialmente nesta pandemia”, destaca Jonatas.

Com as melhores expectativas em relação à adesão ao congresso de saúde estética Beauty Summit 360 Digital por parte de profissionais que estão sempre à procura de atualização, Jonatas comenta que o mercado há tempos vem abordando os eventos híbridos, já que existem tecnologias disponíveis que possibilitam isso. “Com a pandemia do coronavírus isso passou a ser prioridade para as empresas e para quem atua nesse mercado. A questão agora é como diferenciar um evento on-line de uma live. No caso do Beauty Summit 360, nosso desafio é criar um congresso digital que traga discussões e exposição de produtos e serviços”, enfatiza o idealizador e realizador do evento. Ele afirma também que o congresso on-line não elimina a realização do evento presencial, que poderá acontecer em novembro próximo. “Vai depender da situação da pandemia”, pondera Jonatas.

Até o momento, já estão confirmadas as participações dos seguintes profissionais no congresso Beauty Summit 360 Digital: Gislaine Ricci Leonardi (professora de cosmetologia da Unicamp), Fábio Borges (fisioterapeuta , professor e autor de diversos livros), Ynaiã Piedade (fisioterapeuta dermatofuncional), Ivone Moser (fisioterapeuta, professora e autora de diversos livros), Carla Leoni (fisioterapeuta e professora), Vanessa Monteiro (bacharel em estética e autora do livro “Estética Paliativa e Humanizada”), Rafael Munis (empresário e proprietário do Espaço Zanama) e Cicelina Campos (fisioterapeuta dermatofuncional e professora).

Espaço Zanama é um coworking destinado a profissionais da saúde, funciona há dois anos e abre segunda unidade em junho

 

            Em abril de 2018, num dos pontos mais tradicionais do Centro do Rio de Janeiro – bem pertinho do Largo da Carioca –, entrava em operação o Espaço Zanama (www.espacozanama.com.br) , um coworking de alto padrão destinado a profissionais da saúde. O modelo de negócio, criado pelos irmãos Rafael e Pedro Muniz, é único no país. Por meio de uma plataforma própria de gerenciamento, os membros conseguem realizar, editar ou cancelar suas reservas de forma rápida, usando celular, tablet ou computador.

No Espaço Zanama o profissional tem à sua disposição salas, equipamentos e toda estrutura que uma clínica de alto padrão oferece, sem precisar se preocupar com condomínio, conta de energia e funcionários.

O negócio deu tão certo que o Espaço Zanama abre sua segunda unidade no dia 13 de junho e passa a operar também no Shopping Downtown, na Barra da Tijuca. É claro que a crise trazida pela pandemia afetou bastante o negócio, mas não o suficiente para intimidar Rafael e Pedro. Eles contam nesta entrevista como estão contornando a crise e revelam os planos de como pretendem continuar de mãos dadas com o sucesso.

Estética e Mercado – Como nasceu a ideia de criar o Espaço Zanama que, até onde sabemos, é um coworking voltado a profissionais da saúde e da estética com modelo inédito no país e, possivelmente, no mundo?

Rafael Muniz – Trabalhamos por cerca de dois anos alugando equipamentos para profissionais da área da saúde, com um apelo maior para a área da estética. Nossa empresa trabalhava com os aparelhos convencionais como radiofrequência, criolipólise, criofrequência e outros. Isso nos deu a oportunidade de nos aproximar da realidade desses profissionais, de seus locais de trabalho e, em muitas vezes, da relação de negócios que eles possuíam com o dono da clínica em que trabalhavam, pois, muitas vezes as negociações e os contratos ficavam sob a responsabilidade do profissional que, embora não fosse o dono do estabelecimento, era quem precisava assumir os riscos da locação, se quisesse aumentar o faturamento, que por sinal, era quase que inteiramente repassado ao dono da clínica em forma de comissão. Notamos que existiam profissionais extremamente empreendedores, inventivos e que, por falta de oportunidade/capital, não tinham como se arriscar com um negócio próprio. Isso obrigava-os a seguir no esquema de subordinação e comissionamento exercido pela clínica que, em sua grande maioria das vezes, se mostrava explorador. A aproximação com os donos das clínicas também foi de grande aprendizado. Em determinados casos a nossa negociação e a assinatura dos contratos era feita diretamente com o dono(a) da clínica, que geralmente também era o profissional responsável por executar o serviço (foram poucos os casos em que encontramos um “administrador” tomando conta de uma clínica ou de um negócio na área de saúde, geralmente o dono também desempenha o papel de executor). Isso nos fez enxergar o quanto esses profissionais se desdobravam para cuidar dos atendimentos e da parte administrativa. Notamos que quando eles atendiam muito o negócio desandava na parte administrativa e, se passavam muito tempo administrando, o negócio padecia por falta de dinheiro entrando.

Foi aí que vocês viram a oportunidade de criar uma proposta diferenciada?

Pedro Muniz – Notamos que não existia um modelo de negócios orientado para auxiliar com o qual esses profissionais pudessem começar um negócio de maneira segura, escalável e de baixo custo e complexidade. Isso incluía até mesmo os que já possuíam um negócio funcionando, mas desejavam expandir para outras regiões da cidade. O que existia no mercado, e ainda existe hoje (transvestido como espaço de coworking), são clínicas/médicos que sublocam salas ociosas para ajudar na complementação da renda no final do mês. Esse modelo, por falta de um sistema de gerenciamento voltado para o profissional que está sublocando o espaço, precisa ser muito engessado para permitir que o dono do local faça tudo de maneira simples e não perca muito tempo gerenciando esses horários na agenda. Fora que, nesses casos, o profissional precisa levar seus clientes para dentro de uma clínica que não é dele, passar as informações de seus clientes para uma secretária que não é dele e, no final das contas, toda sua base de clientes acaba sendo transferida, sem que ele se dê conta, para uma outra pessoa (e ele ainda paga para isso…rs). Outro grande problema desse modelo é que não existe qualquer iniciativa do local para realmente promover o negócio do profissional que está alugando, geralmente a verba de marketing e administração é integralmente voltada para promover o dono do espaço que, se cresce muito, vai precisar utilizar os horários que está sublocando para fora (e ai, o profissional que está sublocando aquele horário passa a não poder mais) e, se perde dinheiro, precisa fechar ou se mudar (e nesse caso, o profissional que está sublocando o espaço também acaba sendo prejudicado). E claro, não precisamos nem mencionar que não existe um ‘coworking’. Não existem diversas salas com profissionais diversos atendendo e uma recepção grande onde eles possam se sentar para conversar e interagir, ampliando seu network. Muito menos qualquer sistema que estimule essa integração.

Quais foram então os pontos principais que vocês procuraram desenvolver neste modelo de negócio?

Rafael – Nossa ideia foi ir na contramão do que vimos e montar um negócio em que pudéssemos aproximar essas pessoas, gerar networking e colocar esses profissionais no centro da atenção. Tudo que fazemos é para gerar valor para o negócio desses profissionais. Desde uma estrutura de luxo com um ambiente descolado até um sistema próprio de gerenciamento de reservas que permite que o agendamento seja feito sem qualquer complicação. No Espaço Zanama todos os profissionais atendem pagando por hora e o agendamento não tem qualquer imposição nossa em relação a dia e horário. Os profissionais entram em nosso sistema e fazem suas reservas conforme sua conveniência. Escolhem o dia e o horário em que querem atender e, ao chegar no local, tudo está preparado, limpo e organizado esperando por eles. Isso permite uma agenda flexível e, consequentemente, maior capacidade de atender pessoas ao longo da semana/mês. E é exatamente essa flexibilidade de estar no Espaço em dias diferentes que permite que os profissionais se conheçam, troquem ideias, clientes, criem parcerias e etc.

2- Como foi a evolução do negócio entre a abertura da primeira e da segunda unidade?

Pedro – A evolução foi um aprendizado incrível. O negócio, da forma como foi concebido, era voltado para profissionais da estética, tanto no seu modelo, quanto na estrutura de nossas salas. Logo nos primeiros meses começamos a receber dezenas de profissionais de outras áreas querendo trabalhar conosco. Cada um trazia na bagagem uma necessidade específica em relação ao nosso sistema e algumas frustrações em relação à estrutura de nossas salas. Foi nesse momento que percebemos que, assim como existiam oportunidades para o setor da estética, profissionais de todas as outras áreas da saúde também poderiam se beneficiar do nosso modelo de negócios, contanto que fizéssemos algumas modificações em nosso sistema, operações e estrutura das salas. Foram meses de profundo aprendizado, transformando muitos feedbacks que recebíamos em planos de melhoria para os serviços que oferecíamos. Ter tido a humildade de escutar e a habilidade de nos reinventarmos foi crucial para permitir que encontrássemos um modelo estável que fosse igualmente interessante, tanto para um esteticista quanto para um cardiologista. Hoje, no Espaço, atendemos profissionais de mais de 20 especialidades diferentes. Tudo que fazemos leva em consideração os feedbacks de nossos clientes e isso é fundamental para que cresçamos no caminho certo, fazendo com que eles entendam que fazem (e são) parte fundamental do que estamos construindo. Decidimos abrir a segunda unidade após validarmos que possuíamos um modelo de negócio estável e replicável, financeira, legal e operacionalmente. A principal ideia por trás da expansão é permitir que nossos clientes possam expandir conosco, explorar outras regiões da cidade e prospectar para uma parte maior de pessoas. Nossos clientes poderão atender em ambas as unidades por meio de um mesmo contrato, isso traz uma série de benefícios e oportunidades, ao mesmo tempo em que não aumenta a complexidade do negócio e tampouco gera qualquer custo extra.

Como estavam as expectativas em relação ao mercado para 2020 antes da pandemia? O que mudou?

Rafael – Havia muitas expectativas para 2020. No ano passado, tivemos um desempenho incrível tanto que, em diversos meses, precisamos até ‘fechar as portas’ por falta de capacidade operacional para atender a demanda que recebíamos. Havia diversos projetos grandes para serem implementados em 2020 (fora a expansão) e, infelizmente, muitos precisarão ser adiados. Permanecer por mais de dois meses de portas fechadas foi um golpe duro, tanto para nós quanto para nossos clientes. Sabemos da importância e da responsabilidade que temos com a vida profissional de muitos de nossos clientes que dependem de nós para voltar às atividades (somos o único local de trabalho de vários deles). Por isso, resolvemos reabrir nossas unidades, adotando todos os protocolos de segurança possíveis para evitar qualquer tipo de disseminação da Covid-19. Essa pandemia enraizou um medo sem precedentes de sairmos de casa e isso, é claro, vai se refletir no faturamento de nossos clientes. Essa retomada será gradual e dura. Nosso objetivo no momento é auxiliar nossos clientes nessa retomada. Estamos nos preparando para um mercado extremamente debilitado e projetando uma retomada muito mais lenta do que previmos. Estamos em um momento de olhar pra dentro, arrumar a casa, sacudir a poeira, enxugar os olhos e ter esperança de que as cosias vão dar certo. O futuro está mais imprevisível do que nunca, paramos de planejar a longo prazo e passamos a nos dedicar integralmente ao agora.

De que forma o Espaço Zanama tem enfrentado os impactos da crise causada pela pandemia?

Pedro – A inauguração de nossa segunda unidade estava prevista para dia 21 de março. Fechamos por conta da pandemia no dia 18 de março. Já estava tudo comprado para a festa de inauguração que, por motivos óbvios, também foi cancelada. Foi um golpe duro, precisamos cancelar uma série de atividades, desmarcar com dezenas de convidados… Mas sabíamos que era o certo a se fazer. Os próximos dias foram de muitas incertezas. Ninguém sabia ao certo o que aconteceria, quais seriam os impactos, quando poderíamos reabrir… Então começamos a nos estruturar no sentido de cortar todos os custos e renegociar tudo que pudéssemos. Decidimos, logo de cara, que faríamos de tudo para não demitir nenhum colaborador, e assim foi feito. Aproveitamos esse período para estudar sobre nosso posicionamento após a pandemia e quais projetos (que estavam no pipeline) ainda seriam executados e quais precisariam ser descartados.

Como reverter este cenário dramático?

Rafael – Ao longo dos próximos meses faremos o maior investimento em marketing já realizado por nós, voltado exclusivamente para divulgar nossos clientes, abriremos as portas de nossa nova unidade para que nossos clientes atendam de graça ao longo de todo o mês de junho e, para aqueles que não puderem retornar (por qualquer impedimento), estamos dando a opção de trancar os contratos/mensalidade. Fora isso, estamos abrindo também uma linha exclusiva de preços incentivados para profissionais/empreendedores que perderam seus negócios durante a crise.

As atividades já estão sendo retomadas? O que muda a partir de agora na gestão do negócio e na relação com seu público-alvo?

Pedro – Sim, vamos reabrir ambas as unidades ainda em junho. A relação com nosso público-alvo e clientes não vai mudar. Sempre fomos muito próximos de todos, sempre estivemos abertos ao diálogo e sempre nos empenhamos ao máximo para garantir que todos tivessem uma experiência incrível durante o tempo que passam conosco. Isso é o que temos de mais valioso em nosso espaço e é dessa forma que continuaremos conduzindo nosso negócio.

Quais têm sido as lições aprendidas por você, como gestor, nesta crise gerada pela pandemia?

Rafael – Ficou claro o quanto pequenos negócios estão expostos a momentos de crise severos como este. Principalmente no Brasil, onde além de termos uma carga tributária elevadíssima, em tempos como o que estamos enfrentando, não vimos qualquer agilidade por parte do governo para proteger esses empreendedores. Ter um bom planejamento financeiro e caixa emergencial foi fundamental para que sofrêssemos menos durante esse período. Como espaço de coworking, temos o DNA empreendedor em nossas veias, respiramos esse ar diariamente e sempre demos muito valor aos profissionais que escolheram seguir por conta própria em um país com tantas barreiras burocráticas, legais, informativas e financeiras. O resultado econômico catastrófico dessa pandemia só reforçou o propósito pelo qual montamos nosso negócio e evidenciou o quanto trabalhar em um espaço de coworking pode fazer a diferença para empreendedores.

 

Live acontece em 3 de junho com apresentação da farmacêutica Paula Tondato para lançamento do peeling de cristal líquido

 

A Lakma Dermocosméticos lança, no dia 3 de junho, um peeling de cristal líquido com base e ativos exclusivos, em live denominada Lakma Live Show, que acontece no @lakmaoficial , às 19h.

Segundo a farmacêutica e CEO da Lakma, Paula Simionato Tondato, o peeling de cristal líquido trata todos os tipos de manchas. “Ele é resultado de tecnologia exclusiva e inovadora que trouxemos para o mercado brasileiro. Tem ativos clareadores e despigmentantes até então nunca utilizados na estética, com uma base inovadora idêntica à nossa pele e eficácia ideal para o tratamento contra todo e qualquer tipo de mancha”, explica.

Os participantes da live show receberão todas as informações relevantes sobre o produto como os ativos presentes na fórmula, benefícios, indicações, contraindicações, artigo científico revisado, fotos de antes e depois, teoria e prática do protocolo (demonstração), além de poderem tirar dúvidas e participar do bate-papo ao vivo, que será conduzido pela própria doutora Paula. Além de farmacêutica industrial, ela é especialista em engenharia farmacêutica, cosmetologia e em farmácia esteta. Serão dados certificados aos profissionais que assistirem a live.

Estratégia na crise

O lançamento do peeling de cristal líquido – o terceiro deste ano pela empresa — faz parte da estratégia da Lakma Dermocosméticos para o enfrentamento da crise gerada pela pandemia do novo coronavírus. “A vendas caíram drasticamente em abril e o mercado só voltou a reagir em maio. Durante este período, procuramos proporcionar conteúdo relevante a nossos clientes por meio de lives diárias, o que também promoveu o fortalecimento e a aproximação da nossa marca com o público”, avalia Paula.

A empresa

A Lakma Dermocosméticos foi fundada, em 2009, com uma loja-piloto e um centro técnico, com sede em Ourinhos, interior de São Paulo. Hoje conta com mais de 100 distribuidores em todo o Brasil e mais de 120 produtos em sua linha, atendendo a todas as necessidades do profissional da beleza..

 

O empresário Jonatas Vasconcelos, fundador do Beauty Summit 360 e do Portal Estética e Mercado, é palestrante convidado do 15o. Congresso Científico da FHO (Fundação Hermínio Ometto), de Araras (SP), que acontece de 1o. a 5 de junho. Ele abordará o tema Empreendedorismo e Criatividade na Estética em Tempos de Pandemia, das 19h às 20h30. “Será uma grande oportunidade compartilhar conhecimento sobre empreendedorismo e inovação com os participantes deste evento tão importante”, destaca Jonatas.

Para garantir a segurança dos participantes no período de isolamento social e manter o nível de qualidade das atividades propostas, o evento acontece este ano totalmente on-line. As atividades serão realizadas por meio de videoconferências na plataforma Google Meet, que permite a apresentação dos conteúdos e a interação entre os palestrantes e o público. Os interessados em participar do evento, gratuito e aberto a toda a comunidade, devem se inscrever pelo site www.eventos.uniararas.br . Boa parte da programação está voltada à área da estética (confira programação abaixo)

Com o tema Desafios para a Construção de um Mundo Sustentável, o congresso propõe uma reflexão sobre os caminhos que a humanidade deve seguir, especialmente neste momento em que enfrentamos uma das maiores crises já registradas. ”O planeta encontra-se abalado por um inimigo invisível. Em nenhum momento da história recente da humanidade foi tão necessário repensar a prática da fraternidade e o estabelecimento de novos laços de solidariedade entre as pessoas e entre as nações. Dos nossos esforços conjuntos depende agora a construção de um mundo sustentável”, dfestaca a comissão organizadora.

Além do formato, este ano o evento também traz outra novidade: ele será realizado ao longo de cinco dias, com a participação de professores e profissionais do mercado em mais de 300 palestras, multidisciplinares ou específicas, que abordem, não só os saberes próprios de cada área, mas também se conectem diretamente ao tema do evento.

A inscrição (obrigatória para a emissão de certificado de participação) no evento dá direito à participação em quantas palestras o participante desejar, mediante disponibilidade de vagas.

 

Confira a programação do congresso voltada à área da estética:

1o. de junho

8h30 às 10h: Estética da Nova Era

Profª. Esp. Juliana Lopes Godinho

10h30 às 12h: Tricologia e Terapia capilar: Importância do Cronograma capilar

Profª. Esp. Priscila da Silva Ceccatto

19h às 20h30: Empreendedorismo e Criatividade na Estética em Tempos de Pandemia

Prof. Esp. Jonatas Leandro Vasconcelos

21h às 22h30: Massagens Terapêuticas no Tratamento da Ansiedade

Profª. Rosangela Costa Branco de Carvalho

 

2 de junho

8h30 às 10h: Abordagens da Ozonioterapia na Estética

Prof. Fabiano Fiorin

10h30 às 12h: Cosmetologia e Ciência Cosmética

Profª Drª Gislaine Ricci Leonardi

19h às 20h30: Óleos Essenciais e as Esferas do Cuidar: a Terapia Através do Olfato

Profª. Vanessa Castello Branco Pereira

21h às 22h30: Terapia hormonal nas disfunções estéticas

Dr. Francisco Luiz Gonzaga

 

3 de junho

8h30 às 10h: A Cosmética Natural como Alternativa aos Tratamentos Convencionais

Esp. Camilla Guimarães dos Santos

10h30 às 12h: Tecarterapia: Atuação Inovadora em Ascensão na Estética

Prof.ª Esp. Renata Gomes Moreira

19h às 20h30: Visão dos Órgãos Sob a Medicina Tradicional Chinesa

Prof. Esp. Robson de Moraes

21h às 22h30: Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICS): Fundamentos Históricos, Científicos e Perspectivas no Cuidado Integral

Prof. Dr. Ricardo Monezi

 

4 de junho

8h30 às 10h: Pós-operatório nas Principais Cirurgias Plásticas Estéticas

Esp. Giselly Goes

10h30 às 12h: Peelings Magistrais de Inverno

Profª Bruna Ambrozio

19h às 20h30: Desvendando os Segredos da Pele Negra

Profª. Carla Alves Nunes de Oliveira

21h às 22h30: Transformar Seguidores em Clientes na Estética

Esp. Juliana Gonçalves

A revolução tecnológica que o mundo passa é um processo de grandes mudanças para o ramo do empreendimento. Em todas as áreas, estão sendo implantadas algumas novidades, seja um software ou uma técnica nova, ou até um novo produto.

O ramo da estética ganhou enorme valorização nos últimos anos e a tecnologia é um dos aliados nesse crescimento. Novas técnicas e novos equipamentos que o mercado possui são voltados para melhorar a vida das pessoas.

Esse crescimento pode gerar um desequilíbrio na procura e oferta, ou seja, é preciso se manter atualizado para servir as pessoas do melhor jeito e sair na frente dos negócios concorrentes.

Cuidar do nosso corpo e da nossa saúde é também cuidar da nossa autoestima. Hoje em dia, a importância da estética na vida das pessoas é indescritível. Por isso, manter o seu negócio no nicho da estética atualizado com as inovações tecnológicas é extremamente importante.

É preciso inovação na mina clínica de estética?

A resposta é: sim! Inovar no atendimento, nas técnicas e no modo de captação dos clientes é um passo para se adequar a esse mundo repleto de oportunidades.

Trabalhar com estética é trabalhar com ciência e saúde, na visão de nossos pacientes/clientes é em certo ponto, trabalhar com moda. Portanto, se manter atento (a) com as novidades do mercado, descobertas cientificas e com as novidades apresentadas por grandes nomes da estética, pela industria e sites direcionados, é um modo de se atualizar.

Muitas pessoas acreditam que o futuro e a Ciência sempre terão uma solução para aquela ruga, aquele amarelo no dente, aquela gordurinha localizada e outras coisas que podem trazer incômodo.

E até hoje a Ciência e o futuro se encarregaram de suprir as necessidades e cumprir as expectativas dessas pessoas.

Portanto, manter seu negócio atualizado é acreditar no seu cliente e na capacidade que o seu negócio tem de transformar realidades e realizar sonhos.

Como inovar na minha clínica estética para ela crescer?

Em primeiro lugar, para inovar é preciso não ter preconceitos. Cada vez mais a diversidade tem ganhado força e procurado todos os serviços. Por isso, invista em treinamentos de atendimento, e exercite o respeito ao cliente.

Também é notável que a inovação tecnológica está aliando produtos orgânicos e veganos, com equipamentos de última geração. Pesquise sobre o ramo trabalhado e veja quais são as opções que podem trazer novos clientes que consomem conscientemente.

Além do que já foi dito, a nova tendência do mercado é o tratamento personalizado. Entender como funciona essa estratégia é imprescindível para chamar a atenção dos clientes e torná-los fixos.

Outro passo para inovar é buscar conhecimento:

– Frequente feiras e workshops;

– Leia artigos e notícias;

– Saiba sempre o que é novidade e se essa novidade se encaixa no seu negócio.

Este artigo que você está lendo é uma forma de se manter atualizada e buscar conhecimento. Assine nossa newsletter e se cadastre para receber todas as novidades do mercado.

O Estética e Mercado é o primeiro portal de notícias segmentado que traz informações exclusivas sobre o mercado de estética e saúde. É tudo que o seu empreendimento de estética precisa para a tomada de decisão e estar sempre à frente com inovação e qualidade no mercado.

 

Assuntos relacionados ao universo da ciência dermatocosmética estão mais acessíveis aos profissionais da área da estética e aos interessados, de um modo geral, graças à iniciativa da professora doutora Gislaine Ricci Leonardi, coordenadora do Centro de Especialidades em Ciências Cosmética e Dermatológica (CeCD) da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). Com o apoio do seu grupo de pesquisadores, ela decidiu compartilhar os conteúdos relacionados ao tema num perfil aberto na rede social Instagram (@pesquisacosmetica.cecd), além de abordar o tema em episódios veiculados em podcast.

“A ideia do perfil no Instagram surgiu no início da pandemia do novo coronavírus, quando as aulas presenciais precisaram ser interrompidas. Busquei formas diferentes de levar os conteúdos aos estudantes. Depois de discutir com meu grupo de pesquisa, achei que o Instagram seria um canal apropriado”, conta a professora.

Os primeiros posts foram feitos em 17 de março passado e destacam o tema ‘álcool em gel’, quando o produto esteve em pauta por sua ação efetiva na eliminação do novo vírus e súbita falta de oferta no mercado..Uma das postagens iniciais também apresenta a missão do grupo de pesquisas do CeCD: “Ajudar na evolução da ciência cosmética e, consequentemente, ajudar as pessoas a serem mais saudáveis e felizes”.

De forma didática e clara, o perfil leva aos seguidores desde conceitos básicos da cosmetologia, passando por dicas diversas até a indicação de artigos científicos publicados.  E uma boa sugestão para quem quer estar por dentro do assunto, sem necessariamente ser um profissional da área.

 

PODCAST

Em franco crescimento no Brasil, o podcast (arquivo digital de áudio transmitido pela internet) também se transformou numa ferramenta de disseminação de conteúdos para a professora Gislaine.

No dia 4 de maio passado, a pesquisadora colocou no ar o primeiro episódio “Definições Importantes para Cosmetologia”, com 2’22” de duração, pela plataforma Anchor. O programa leva o nome da pesquisadora (Gislaine Ricci Leonardi) e já tem mais 3 episódios postados: Cosméticos Hidratantes (4’), Vitamina A – retinol (2’45”) e Ácido Glicólico (2’44”). O conteúdo pode ser conferido também em outras plataformas como Google Podcasts, Spotfy, Breaker, PocketCasts, RadioPublic e Copy RSS.

Você conferir clicando no link. https://anchor.fm/gislaine-ricci-leonardi/episodes/Definies-importantes-para-Cosmetologia-edk48f

 

INTERESSE E INFORMAÇÃO

Ao justificar sua iniciativa na divulgação de informações relacionbadas à cosmetologia, a professora Gislaine enfatiza que há um interesse crescente dos profissionais da estética e do mercado em geral pelos cosméticos voltados aos cuidados com a pele, sobretudo os produtos que previnem as marcas surgidas com o envelhecimento cutâneo, que ajudam no envelhecimento com qualidade. “No nosso grupo de pesquisa temos alunos de iniciação científica, mestrado e doutorado. Alguns estudam o desenvolvimento de novas formulações para a pele, outros estudam a eficácia destas formulações. Trabalhamos tanto com formulações cosméticas (que possuem o intuito de prevenir/cuidar), quanto com formulações dermatológicas (para tratamento)”, explica.

A pesquisadora comenta que vários estudos são necessários para garantir a estabilidade, segurança e eficácia dos produtos. “A ciência que estuda a aplicação e os efeitos dos cosméticos é muito importante tanto para a medicina dermatológica quanto para a área estética. Atualmente, é possível obter produtos cosméticos com resultados altamente satisfatórios e perceptíveis na prevenção do envelhecimento cutâneo, graças ao avanço das pesquisas. A partir dos estudos realizados na área das ciências farmacêuticas, descobriram-se diversas tecnologias disponíveis para aumentar a ação dos produtos cosméticos, tais como a nanotecnologia, biotecnologia, entre outras”, completa.

A professora Gislaine Ricci Leonardi é graduada em farmácia, tem mestrado em fármaco medicamento e doutorado em ciências farmacêuticas, pela Faculdade de Ciências Farmacêuticas da USP de Ribeirão Preto. É autora de livros e capítulos de livros e líder do Grupo de Pesquisa CeCD (instagram: @pesquisacosmetica.cecd), na Unicamp.

 

 

Prestes a completar 40 anos de atividades, a Onodera Estética entrou na batalha contra o novo coronavírus com as armas que conhece: gestão estratégica, inovação e capacidade de adaptar-se às condições impostas pelo mercado.

Lucy Onodera, sócia-diretora da rede de franquias presente em mais de 50 unidades distribuídas em 10 estados brasileiros, relata nesta entrevista algumas medidas adotadas pela empresa no intuito de amenizar os impactos gerados pela pandemia, como a implantação da Consultoria OnLine, investimento num novo portal de vendas e criação de ações promocionais como o Boto Club.

 Estética e Mercado – Como avalia o impacto da crise provocada pela pandemia no setor de beleza e estética?

Lucy Onodera – Acredito que assim como o nosso setor, todos os setores da economia estão sentindo este impacto, não apenas econômico, mas também o impacto social. Por meio de pesquisas, estamos acompanhando as tendências e verificamos que o mercado de beleza, em geral, será um dos primeiros a retomar o crescimento. Para que os nossos franqueados sejam impactados o mínimo possível, desenvolvemos algumas ações, entre as quais podemos destacar as flexibilizações de pagamentos como royalties e fundo de propaganda; ações de capacitação voltadas aos franqueados e força de vendas por meio de treinamentos online, entre outras.

Houve demissões ou fechamento de unidades em virtude desta crise?

Em todo este período de pandemia, houve apenas o fechamento de uma unidade da rede Onodera. Neste caso, nossa maior preocupação e a do franqueado foi a de não prejudicar as clientes que ainda possuem algum saldo de tratamento. Desta forma, daremos continuidade a estes tratamentos assim que retomarmos às atividades. Apesar do fechamento desta unidade, acreditamos em nosso país e enxergamos também o lado positivo em todas as situações. Estamos observando o aumento na procura por franquias neste período em que os empreendedores estão vislumbrando uma grande oportunidade de investimento e rentabilidade a médio e longo prazos. Para evitarmos demissões em massa, utilizamos de todos os recursos disponibilizados pelo governo federal (redução de jornada de trabalho, férias e suspensão de contratos), deste modo, conseguimos manter o máximo possível de colaboradores em nossa rede e, mais do que isso, além de preservá-los, estamos realizando diversos encontros de capacitação e preparando todos para a reabertura de nossas unidades, pois acreditamos que em um curto espaço de tempo possamos ter de volta 100% da nossa força de trabalho.

 Algum projeto adiado em virtude da crise?
Ao contrário! Alguns projetos que estavam engavetados começaram a tomar forma, pois neste momento implantamos a Metodologia Ágile em nosso negócio, e estamos entregando diversos projetos na tentativa de testar o maior número de ações.

O que é a Metodologia Ágile?

As práticas de gestão de projetos precisam se adequar às novas exigências do mercado, que estão cada vez mais relacionadas a entregar valor ao cliente de forma otimizada, transparente e colaborativa. A Metodologia Ágile é uma solução para eliminar gaps nos projetos e potencializar as entregas, o que viabiliza uma otimização dos processos e maior satisfação do cliente. A metodologia está baseada em quatro valores: 1 – mais interações entre indivíduos do que processo e ferramentas; 2 – mais software em funcionamento do que documentação abrangente; 3 – colaboração com o cliente acima da negociação de contrato; 4 – adaptabilidade é mais importante do que seguir um plano. Acreditamos que essa metodologia nos sintoniza melhor com este cenário de transformação digital, sendo umas das maiores premissas entregas com rapidez e com maior frequência, conforme surgem as necessidades do cliente.

As atividades foram retomadas por unidades da rede? Quais alterações foram implantadas nas regras de funcionamento?

Algumas de nossas unidades foram reabertas, mas ainda estamos na expectativa e aguardando as definições dos governos locais para termos a reabertura de 100% da nossa rede. O mais importante para nós é a saúde das nossas colaboradoras e de todas as pessoas envolvidas direta ou indiretamente. Por isso, apoiamos e estamos de acordo com todas as medidas e orientações do Ministério da Saúde e OMS (Organização Mundial da Saúde), pois o mais importante neste momento – sempre foi em nossos 39 anos de história e será –, é cuidar do bem-estar e da saúde de toda sociedade. Este é um mantra que perseguimos incansavelmente todos os dias.

Você percebe mudanças no comportamento do seu público consumidor? Que adequações está fazendo?

Sim. Hoje, o nosso público está receoso e sentindo também todo o impacto desta pandemia, então, eles estão analisando dia a dia como realizarão as compras, para que não haja impacto negativo na despesa da casa. Estamos promovendo diversas adequações em nosso negócio: a implantação da Consultoria Online; adotando o reforço de todas as questões e normas de segurança; implantando e desenvolvendo ferramentas digitais; criando um novo portal de vendas; lançamento tratamentos; dentre outras medidas.

Quais ações gostaria de destacar na gestão do seu negócio neste momento?
Uma das principais ações que implantamos – e será algo que mudará a forma de nos relacionarmos com as nossas clientes — é a Consultoria OnLine, que dentre todos os benefícios, destacamos a comodidade e praticidade no dia a dia para nossas clientes, já que por meio dela agora é possível realizar uma consultoria em qualquer lugar e momento. Outra ação que mudou a nossa forma de pensar e de nos comunicar com nossos franqueados foram os treinamentos virtuais, que nos trouxeram mais agilidade para debatermos temas atuais e importantes ao momento que nós e nossos franqueados estamos enfrentando, sendo uma troca de conhecimento e de boas práticas entre todos.

E sobre os lançamentos e ações promocionais?
Gostaria de ressaltar algumas novidades promocionais e lançamentos, todos voltados a tratamentos rápidos e com excelente resultado. Posso citar o Desafio Quarentena Detox, composto por produtos home care, dieta especial, acompanhamento nutricional, assinatura de um aplicativo de exercícios e tratamentos Onodera. Lançamos também o Boto Club – o Clube da Toxina Botulínica, em que a cliente poderá realizar três aplicações durante o ano, com parcelamento em 12 vezes; além da depilação a laser que está com desconto de até 60%.

FecomercioSP reforça que, para as linhas de crédito chegarem a mais empresários, o Tesouro Nacional precisa disponibilizar recursos próprios como garantia das operações de crédito para capital de giro

 

A FecomercioSP, ao acompanhar os desdobramentos que a pandemia de covid-19 tem provocado nos setores de comércio e serviços e ouvir associados e empresários em geral, tem percebido que com o aumento da aversão ao risco, o sistema financeiro vinha tornando o crédito mais seleto, com aumento de juros e redução do prazo, principalmente às PMEs.

Nesse sentido, tem enviado ofícios ao Poder Público com sugestões de medidas emergenciais para tentar minimizar os danos. Um dos pedidos era a criação de uma linha especial e simplificada de crédito para pequenas empresas por meio do BNDES, do Banco do Brasil ou da Caixa Econômica Federal, dirigida a capital de giro, com juros menores e carência de seis meses para início de pagamento, e 24 meses para quitação. Além disso, propôs a criação de um regime emergencial e transitório para agilizar a avaliação de crédito durante o período de crise, principalmente para os pequenos empresários.

Recentemente, a Caixa Econômica Federal e o Sebrae anunciaram uma parceria para oferecer R$ 7,5 bilhões em crédito às micros e pequenas empresas e aos Microempreendedores Individuais (MEI) como auxílio aos empresários. Ao encontro do pleito da Federação, esse recurso estará disponível a empreendedores com uma carência de 9 a 12 meses, e pagamento entre 24 e 36 meses. Os valores máximos para concessão são de até R$ 12,5 mil para MEI; até R$ 75 mil para microempresas; e até R$ 125 mil para empresas de pequeno porte. Os juros são de 1,59% a.m. mês para MEI; 1,39% a.m. para microempresas e 1,19% a.m. para pequenas empresas.

A Entidade lembra que é preciso que esses recursos cheguem com rapidez a quem precisa, principalmente para pagamento de funcionários e manutenção do negócio, visto que há o risco de 44 mil pequenas empresas encerrarem suas atividades em 2020 e 191 mil vagas de empregos serem fechadas, de acordo com estimativas da FecomercioSP. Além disso, novas linhas precisam ser abertas por meio do BNDES.

Outras ações do governo federal que respondem aos pleitos da Federação estão na Medida Provisória n.º 944, que oferece crédito às empresas de pequeno e médio portes, com faturamento acima de R$ 360 mil e abaixo de R$ 10 milhões, pelo período de dois meses, destinado exclusivamente ao pagamento de salários de seus empregados.

A MP n.º 944 estabelece taxa de juros de 3,75% ao ano, carência de seis meses para pagamento da primeira parcela e prazo de até 36 meses para quitação. No contrato de financiamento constará a obrigação de a empresa não realizar desligamentos de seus funcionários, sem justa causa, no período compreendido entre a data da contratação da linha de crédito e mais 60 dias após o recebimento da última parcela.

Já a mais recente, a MP n.º 958, flexibilizou algumas normas para contratação e renegociação de operações de crédito nas instituições financeiras públicas até o dia 30/9. Dessa forma, passam a ser dispensadas:  apresentações de certidão de quitação eleitoral, de certidão negativa de débitos de tributos federais e de certificado de regularidade do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS); e consulta prévia ao Cadastro Informativo de créditos não quitados do setor público federal (Cadin).

Ainda para atender às PMEs, o Senado aprovou, no dia 24/4, um projeto que concede linha de crédito especial para empréstimos de valor correspondente a até 30% de sua receita bruta obtida no ano de 2019. O público-alvo é empresa com receita bruta de até R$ 4,8 milhões ao ano. A medida também atende à proposta da FecomercioSP, enviada quando o projeto estava para ser votado na Câmara dos Deputados, principalmente no que se refere ao crédito para capital de giro ou investimentos em condições diferenciadas para as microempresas e empresas de pequeno porte, durante a crise gerada pela pandemia de covid-19.

Com unidades das franquias fechadas, Buddha Spa, Oral Unic e Majô Beauty Club avaliam tomar empréstimos a juros baixos para enfrentar o período de crise

O governo vem anunciando uma série de medidas econômicas para ajudar pequenos e médios empresários a enfrentarem a crise causada pelo coronavírus. O pacote é extenso e inclui uma linha de crédito para as pequenas e médias empresas financiarem o pagamento dos salários de seus funcionários a juros mais baixos e a possibilidade de suspensão do contrato de trabalho por até 60 dias e de redução da jornada e salários em até 70%, com direito a estabilidade temporária do empregado e recebimento de benefício emergencial pago pelo governo. Além disso, empresas do Simples Nacional (sistema de tributação simplificada) podem postergar o pagamento dos impostos de abril, maio e junho para outubro, novembro e dezembro.

“É a primeira vez na história que a gente vê o governo tomando medidas que realmente ajudam o empreendedor”, comenta Gustavo Albanesi, CEO das franquias Buddha Spa. “Estamos adotando e recomendando que os franqueados também adotem.”

Com todas as unidades da franquia fechadas, o Buddha Spa está utilizando de todos os recursos oferecidos pelo pacote do governo para enfrentar a crise. Prorrogou o pagamento dos impostos do Simples Nacional e do FGTS sobre a folha de pagamento. Também concedeu férias para funcionários que ainda não tinham o período aquisitivo completo e postergou o pagamento do 1/3 das férias desses colaboradores, prática permitida no pacote de ações do governo para manter emprego e renda. Albanesi também decidiu suspender por 30 dias o contrato de trabalho de parte da equipe, que agora passará a receber o auxílio do governo, e, para outros funcionários, reduziu a jornada de trabalho. O empreendedor também está tomando o crédito liberado pelo governo para subsidiar o capital de giro. “Estamos utilizando todas as medidas possíveis neste momento”, diz.

A rede de clínicas odontológicas Oral Unic também vai utilizar o crédito disponibilizado a taxas menores para pagamento de funcionários e recomendou que seus franqueados façam o mesmo. “Assim podemos deixar o dinheiro que seria usado no pagamento da folha para arcar com as outras despesas”, afirma Nadim Farid Nicolau Neto, fundador da Oral Unic.

“É hora de tomar o crédito disponível a juros menores e, se for necessário, usaremos essa possibilidade”, diz Claudia Vobeto, fundadora da rede de franquias Majô Beauty Club. “Os pequenos franqueadores, sozinhos, não têm fôlego para suportar essa paralisação, porque nosso fluxo de caixa depende de royalties e, na maioria das redes, essa fonte de receita parou.”

A tecnologia tem revolucionado a maneira como nos relacionamos, vivemos e trabalhamos. Tanto no campo macro, quanto no micro, podemos identificar as transformações que os avanços tecnológicos nos trazem. E com as áreas profissionais e o mercado de trabalho, não haveria de ser diferente. A tecnologia pode também influenciar muito na maneira como trabalhamos em uma clínica de estética.

E um dos mais importantes aliados tecnológicos deste campo é o uso de produtos de inteligência artificial em avaliações faciais e corporais. A utilização da inteligência artificial já é uma realidade em muitas clínicas de estética e cirurgia plástica, consultórios odontológicos, consultórios dermatológicos e centros de especialização em estética facial e corporal.

A importância de manter sua clínica de estética atualizada

Por meio do suporte de ferramentas, como o reconhecimento facial automático; equipamentos de radiofrequência; softwares que capturam, fazem análise dos dados e delineiam padrões estéticos personalizados; a física computacional; os exames de imagem; os algoritmos, dentre outros dispositivos, o universo da estética vem passando por revoluções em seus moldes de funcionamento, atendimento e desenvolvimento para com seus clientes.

Em meio a tantas mudanças na área, ocorre também a garantia de avaliações mais específicas para cada caso, tratamentos mais eficazes e mais seguros, assim como uma maior alcance de previsibilidade de resultados aos pacientes e clientes. Além disso, o mercado vem se modificando, principalmente com o aparecimento de muitas startups de beleza e estética.

De que maneira se atualizar para sua clínica crescer?

É com muita rapidez que novos tratamentos e tecnologias inéditas chegam à mídia e a clientes antenados ávidos por usufruir o que há de melhor no universo estético. Por esse motivo, é imprescindível aos médicos e clínicas estéticas estarem capacitados para absorver as inúmeras transformações científicas tecnológicas que o mercado oferece diariamente.

Para Gisela Pajolla, PhD e Pós-Doc pela USP, e dona de uma clínica estética no interior de São Paulo, se manter atualizada perante as inovações tecnológicas é fundamental nesta área.

“Estou sempre nos maiores eventos da área. Participo de congressos, eventos do setor, cursos e visitas técnicas, como a Cosmoprof, em Bologna (Itália), maior evento mundial do segmento. São eventos especializados que reúnem profissionais e cientistas de todo o mundo que estão sempre apresentando o que é tendência nas principais clínicas de estética do Brasil e do exterior.”, explica Gisela.

Afinal, de nada adianta a tecnologia se não houver capacitação e conhecimento devido dos instrumentos a serem manipulados nas clínicas e grandes centros especializados. Os equipamentos se apresentam de forma cada vez mais sofisticada e tais supermáquinas necessitam de base científica e treinamento do profissional de estética que as manipulam.

Ou seja, o profissional de estética precisa estar sempre em movimento e aprendizagem. Para manusear tecnologias avançadas, ele precisa estar munido de conhecimento sobre funcionamento e estrutura celular, processos físico-químicos que acontecem em células e tecidos, e fisiologia. É extremamente necessário entender como responderá cada biótipo diante da tecnologia e através de produtos estéticos.

Caso você deseje ficar inteirado neste universo, não deixe de conferir o nosso site e assinar a newsletter!